MAIS COISAS >> Sustentabilidade

  • Seminário Águas Urbanas – Despoluição e participação social

    Da Redação em 13 de Junho de 2018    Informar erro
    Local: Museu do Amanhã (Auditório)
    ENDEREÇO: Praça Mauá, nº 1, Centro
    DATA : 19/06/2018 HORA : das 15h às 19h VALOR : Grátis
    LINK: Clique aqui e visite o site
    Com o avanço das ameaças aos ecossistemas marinhos, o Museu do Amanhã, com a plataforma Baía de Todos Nós, promove debate sobre os desafios enfrentados na despoluição de recursos hídricos globais. Como parte das discussões do Mês do Meio Ambiente, o auditório recebe o evento internacional Águas Urbanas – Despoluição e participação social
     
    O Seminário contará com a presença de especialistas internacionais, como Shigeru Ueda, engenheiro que acompanhou o programa de despoluição da Baía de Tóquio (Japão); Jeremy Dawkins, professor de gestão urbana da Universidade de Camberra (Austrália) e Jos Schouwenaars, especialista em Gerenciamento de Água e Hidrologia da Autoridade Regional da Água em Fryslan (Holanda), que coordenou também projetos de saneamento em Moçambique. Outra convidada é a brasileira Eloisa Torres, engenheira civil e consultora independente na área de saneamento.
     
    Além do panorama e de perspectivas sobre a Baía de Guanabara, serão apresentados diagnósticos das baías de Tóquio e de Sydney, e do delta urbano da Holanda. A plataforma Baías de Todos Nós é uma iniciativa do Museu do Amanhã, em parceria com o Instituto CCR, que iniciou em 2016, para discutir os desafios do saneamento da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. 
     
    Para esse ano, a temática das baías será, a partir de agosto, permanente na Exposição Principal do Museu do Amanhã, com o lançamento do novo conteúdo interativo Baías de Todos Nós. A experiência apresentará informações sobre as baías de Guanabara, Sydney, Tóquio, Jacarta e de Chesapeake.
     
    As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site. O evento terá tradução simultânea.
     
    Futuro da Baía de Guanabara
    Há dois anos, o Museu vem debatendo os futuros possíveis da Baía de Guanabara, decorridos mais de duas décadas após o início do primeiro grande programa despoluição financiado por organismos internacionais. Com os principais problemas bem mapeados e estudados, o foco agora está na governança. Ou seja, como caminhar para que as ações não caiam em descrédito. Experiências internacionais – e seus acertos e falhas – podem servir de inspiração, apontar caminhos e alertas.
     
    Jornalistas interessados devem se credenciar pelo e-mail imprensa@museudoamanha.org.br.

    ATENÇÃO
    Não somos responsáveis por alterações na programação.
    Recomendamos que confirmem os eventos através dos links ou telefones divulgados.
    Apenas organizamos e compartilhamos a informação.




    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

CURTA O BAFAFÁ!

DIVULGAÇÃO










#AGENDABAFAFA