ARTE E CULTURA >> Carnaval

  • ​Carnaval de 2021 próximo de ser cancelado: Sapucaí e Blocos de Rua

    Da Redação em 15 de Julho de 2020    Informar erro
    Sem vacina, sem folia. Este tem sido o mote da maioria das escolas de samba e blocos de carnaval do Rio diante a pandemia de coronavírus. Por se tratar de uma festa de aglomeração, o cancelamento aparece como única opção caso não apareça até lá uma vacina que imunize as pessoas.
     
    Da parte dos blocos, o adiamento parece iminente. A Sebastiana acha que é preciso responsabilidade e cautela e que seria uma temeridade promover o carnaval dos blocos sem a adoção das medidas necessárias para que as pessoas possam brincar e se divertir nas ruas do Rio de Janeiro de forma segura.
     
    “Carnaval é afeto, proximidade, contato, encontro e alegria”, diz Rita Fernandes, presidente da Sebastiana.
     
    A Banda de Ipanema já fechou questão e decidiu não desfilar em 2021. ”A Banda de Ipanema jamais contribuirá para o contágio”, diz nota da agremiação.
     
    Pelo mesmo caminho vai o Cordão da Bola Preta. Faz apelo para que todos fiquem a salvo para curtir muitos carnavais. “E por isso o nosso lema é: se prevenir nunca é demais! Quanto mais nos cuidarmos, mais rápido iremos passar por isto”, assinala o Cordão em sua página no FB.
     
    A LIESA - Liga Independente das Escolas de Samba já admite o cancelamento dos desfiles. Algumas escolas só vão desfilar se houver vacina. O processo começa seis meses antes, os barracões já estão funcionando.
     
    Escolas já anteciparam escolha do samba online, entre elas a Beija Flor.
     
    Na condição de hoje é eticamente improvável ter o desfile - afirma o presidente da Liesa Jorge Castanheira. 
    - É um evento que mexe muito com o calendário nacional e internacional. Se houver uma sinalização positiva das autoridades de saúde, vamos analisar ou o que será possível. Tem várias variáveis ​​na ciência e não podemos precipitar neste momento. Temos que ter prudência e enxergar eticamente o sofrimento de pessoas que estão perdendo seus entes e lutando nos hospitais pela vida - comenta.
     
    Enquanto isso, como as escolas de samba seguem paradas, mantêm apenas parte do planejamento: desenhos de fantasias e alegorias, projetos gráficos e construção de sinopses. Os diretores de carnaval da Imperatriz Leopoldinense, Marquinhos Fernandes e a Beija-Flor de Nilópolis, Dudu Azevedo, também apontaram a vacina como pré-requisito para a realização do carnaval. Renatinho Gomes, presidente de São Clemente, faz coro:
    - É simples: se você chegar a uma vacina, teremos samba. Como vamos lidar com a multidão sem imunização coletiva?
     
    Fonte: O Globo
     

    ATENÇÃO
    Não somos responsáveis por alterações na programação.
    Recomendamos que confirmem os eventos através dos links ou telefones divulgados.
    Apenas organizamos e compartilhamos a informação.




    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

CURTA O BAFAFÁ!

DIVULGAÇÃO










#AGENDABAFAFA