ARTE E CULTURA >> Teatro

  • Espetáculo “Era Medeia” em única apresentação em Jacarepaguá

    Da Redação em 13 de Setembro de 2021    Informar erro
    Local: Teatro Firjan SESI Jacarepaguá
    ENDEREÇO: Av. Geremário Dantas, 940, Freguesia, Jacarepaguá
    CONTATO: 21 3312-3787 e 3312-3750
    DATA : 18/09/2021 HORA : 20h VALOR : R$20 / R$10
    O espetáculo Era Medeia se passa durante os ensaios de uma adaptação da tragédia “Medeia”, de Eurípedes, pano de fundo para uma discussão que também passa pelo machismo, o abuso de poder, exposição da vida privada e a importância do processo na criação artística.
     
    Em cena, estão os atores Eduardo Hoffmann e Isabelle Nassar, que vivem Pedro Lobo, um diretor excêntrico, e Verônica Albuquerque, uma atriz insegura. O público é convidado a assistir a um ensaio aberto do espetáculo no qual estão trabalhando juntos. Aos poucos, o passado deles vem à tona, e os espectadores passam a ser testemunhas de um acerto de contas íntimo entre os personagens.
     
    “A escolha de Medeia como o texto que os personagens ensaiam tem um propósito: é um ícone da representação de uma mulher que rompe com os padrões sociais estabelecidos. Apesar de tomar atitudes cruéis, ela é uma personagem que não fica à mercê das decisões e escolhas dos homens à sua volta”, explica o ator e diretor Eduardo Hoffmann. “E aí é que está a contradição.
     
    O diretor está montando Medeia justamente para enaltecer a força dessa mulher que rompe com os padrões repressivos e, no entanto, o modo como ele lida com a atriz (que já foi mulher dele) é extremamente repressor e abusivo”, acrescenta.
     
    A partir da exposição da vida íntima do ex-casal, “Era Medeia” também faz uma reflexão sobre os motivos de o público de hoje parecer se interessar mais pelos bastidores da criação do que pela própria criação. “O fato de estarmos vivendo uma realidade social e política extremamente espetacularizada contribui para que o caráter ficcional da arte esteja cada vez mais com sua potência diminuída.
     
    E já faz bastante tempo que os reality shows tornaram as pessoas personagens mais interessantes aos olhos do público do que os personagens criados nas obras de ficção. É uma extrema necessidade de ser arrebatado pelo REAL, até porque o cotidiano atual está extremamente teatralizado”, analisa Hoffmann.
    Texto e direção: Eduardo Hoffmann
    Supervisão artística: Cesar Augusto
    Argumento: Marina Monteiro
    Elenco: Isabelle Nassar e Eduardo Hoffmann
    Trilha sonora: João Mello e Gabriel Reis
    Fotografia: Renato Mangolin
     
    Vendas: Somente pela Sympla (www.sympla.com.br)
    Duração: 1h
    Lotação: 61 pessoas
    Classificação Etária: 14 anos.

    ATENÇÃO
    Não somos responsáveis por alterações na programação.
    Recomendamos que confirmem os eventos através dos links ou telefones divulgados.
    Apenas organizamos e compartilhamos a informação.


    • ARTE E CULTURA QUE PODEM TE INTERESSAR

      "O que não se pode olhar" fala de bullying e preconceito com as crianças
      Saiba Mais
      Infantil: O LEÃO E A BAILARINA
      Saiba Mais
      “Adeus, Palhaços Mortos” da Cia Academia de Palhaços
      Saiba Mais


    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

    Banner Pets

CURTA O BAFAFÁ!

DIVULGAÇÃO









#AGENDABAFAFA