ARTE E CULTURA >> Teatro

  • Musical “Céu estrelado” faz um passeio pelo Brasil profundo e pelo cancioneiro popular nacional

    Da Redação em 23 de Maio de 2022    Informar erro
    Musical “Céu estrelado” faz um passeio pelo Brasil profundo e pelo cancioneiro popular nacional

    Foto: Dalton Valério

    Local: CCBB – Teatro I
    ENDEREÇO: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
    CONTATO: (21) 3808-2020
    DETALHES: De 26/05 a 05/06/22 | 5ª a sáb, às 19h e dom, às 18h | Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia). As vendas estão abertas na bilheteria do CCBB e no site Eventim
    LINK: Clique aqui e visite o site
    O musical inédito “Céu Estrelado” estreia em curta temporada no CCBB apresentando a cultura rica e diversa do Brasil profundo, longe do litoral e dos grandes centros urbanos. Esse lugar, que pode estar na fronteira entre Minas Gerais, Espírito Santo e sul da Bahia, no interior do Mato Grosso ou mesmo no nosso imaginário afetivo.
     
    O espetáculo faz um resgate do cancioneiro popular brasileiro em uma história que reflete sobre o nosso lugar no mundo a partir de relações pessoais e sociais. 
     
    Os diretores Viniciús Arneiro e João Fonseca repetem uma bem-sucedida parceria, iniciada em “Cássia Eller – O musical”, para contar a história de Antonia, vivida pela cantora, compositora e atriz potiguar Juliana Linhares, uma das principais revelações da MPB na pandemia.
     
    Na trama, a personagem, nascida na cidade fictícia de Carneirinhos, se muda para o Rio de Janeiro, brigada com o pai, seu Cris (Bruno Garcia), para tentar a carreira de cantora. Depois de alguns anos, ela está de volta a pedido da família para participar da festa de Santo Antônio na fazenda onde moram. Ao lado do namorado estrangeiro, Johnny (Hamilton Dias), Antonia vai reencontrar, além do pai, um antigo amor, Paixão (Daniel Carneiro), sua irmã Cidinha (Dani Câmara), e a faz-tudo da fazenda, Fafá (Natasha Jascalevich).
     
    “A história nos leva a refletir sobre a inevitável passagem do tempo, o curso da vida e como é urgente e necessário que a humanidade resgate seu olhar sensível para a natureza”, comenta o diretor Viniciús Arneiro. “É também uma trama que fala sobre o que ganhamos e o que perdemos quando deixamos nossa cidade e nossas raízes para seguir um sonho, uma carreira. É uma peça delicada, leve e, ao mesmo tempo, dramática. Tem uma dramaturgia que vai nos surpreendendo”, acrescenta o diretor João Fonseca.
     
    Com exceção do ator convidado Bruno Garcia, o elenco, formado por artistas de diferentes origens, foi escolhido em audições. “Tem gente que nasceu em Natal, Recife, Angra dos Reis, Goiânia, Rio de Janeiro. Os sotaques são muito distintos e se misturam em cena. Fizemos questão que permanecesse assim, para enfatizar que é também nessa multiplicidade cultural que reside a beleza do português não uniforme do Brasil”, conta Arneiro.
     
    Na trilha sonora estão canções de Milton Nascimento, Chico César, Chico Buarque, Gilberto Gil, Jovelina Pérola Negra, entre outras.
    Texto: Carla Faour
    Direção Artística: João Fonseca e Viniciús Arneiro
    Direção Musical: Tony Lucchesi
    Idealização: Gustavo Nunes
    Violonista, Coarranjador e Direção Musical Residente: Gabriel Quinto
    Assistente de Direção: Dominique Arantes
    Cenografia: Nello Marrese
    Iluminação: Dani Sanchez
    Figurino: Flavio Souza
    Elenco: Bruno Garcia, Juliana Linhares, Daniel Carneiro, Dani Câmara, Hamilton Dias e Natasha Jascalevich
    Coordenação de produção: Diogo Gallindo
     
    Tempo de duração: 1h30
    Classificação indicativa: 12 anos.
     


    • ARTE E CULTURA QUE PODEM TE INTERESSAR

      A História é uma Istória, comédia de Millôr Fernandes com direção de Ernesto Piccolo
      Saiba Mais
      "O BALCÃO", de Jean Genet - última semana no Sesc Copacabana
      Saiba Mais
      “Tenho Quebrado Copos” com Paula Furtado no Teatro Café Pequeno
      Saiba Mais


    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

DIVULGAÇÃO