MAIS COISAS >> Entrevistas

  • Gregório Duvivier: “Não saberia ser de outra forma”

    Da Redação em 08 de Julho de 2019    Informar erro
    O ator, humorista, roteirista e escritor Gregório Byington Duvivier começou a carreira no teatro aos 17 anos com a peça de stand up Z.É. Zenas Emprovisadas, que ficou 15 anos em cartaz. Formado em letras pela PUC Rio, escreveu livros de poesia, atuou em outras peças, séries e filmes e atualmente faz sucesso com os programas Porta dos Fundos e Greg News, um noticiário humorístico que satiriza os acontecimentos políticos do país.
     
    Nascido em 1986, Gregório Duvivier fala com exclusividade ao Bafafá. Ele conta que o teatro o salvou da depressão e que tudo começou no Tablado. “Foi lá que vi a delicia que era fazer rir”. Sobre seu engajamento político não titubeia: “O engajamento não é uma escolha. Não saberia ser de outra forma”, garante. Sobre a prisão de Lula, desabafa: “Independente de sua culpa no cartório, Lula merece um julgamento justo”.
     
    Como foram a sua infância e juventude? 
    Melhor impossível. Muita praia, irmãos, livros, jogos de tabuleiro. Pais queridos e presentes. Alguma depressão na pré-adolescência. Mas o teatro me salvou. 
     
    “O teatro me salvou da depressão”
     
    Quando descobriu a vocação para ser ator?
    Descobri no Tablado. Foi lá que vi a delicia que era fazer rir. E aquilo supriu algum vácuo, alguma carência que acho que todo artista tem. Ou talvez seja só eu. 
     
    Você é uma pessoa polivalente. Como foi sua introdução ao teatro, TV e cinema?
    Cada um no seu momento. Teatro foi no Tablado, e o resto por causa do teatro. 
     
    E o humor, como aconteceu?
    No Z.É Zenas Emprovisadas, uma peça de improvisação que fizemos por 15 anos, com amigos do Tablado. 
     
    Sua formação em letras ajudou a ser roteirista também?
    Sim, gostei muito de ter me formado em letras, especialmente o curso que fiz, Formaçao de Escritor, na PUC. Tem uma série de oficinas de criação literária, com professores escritores. 
     
    Por que ainda existe certa reserva para o cinema nacional?
    Acredito que tenha a ver com um complexo de vira-lata. A mesma reserva se dá com tudo o que é nacional. 
     
    Quais são os projetos em execução e os futuros?
    Greg News, a peça Sisifo que estreia em agosto no Teatro Prudential, Porta dos Fundos e seus esquetes semanais. Pro futuro, ficar cada vez mais com a minha filha. 
     
    “O engajamento não é uma escolha”
     
    Ser um ator politicamente engajado prejudica?
    Jamais. Não saberia ser de outra forma. O engajamento não é uma escolha, especialmente quando se é artista.
     
    Como surgiu seu interesse pela política?
    Basta abrir o olho pra se engajar no Brasil. Desde pequeno que me interesso pelas maneiras existentes de se mudar o estado das coisas. 
     
    Qual é o balanço dos seis primeiros meses de Bolsonaro?
    Pior do que a encomenda. Muito focado em agradar Olavo e olavistas, e muito pouco preocupado com o resto da população.
     
    “Lula merece um julgamento justo”
     
    Dói ver o Lula preso?
    Especialmente depois de vazados os conluios do procurador com o juiz. Independente de sua culpa no cartório, Lula merece um julgamento justo. Muito pouca gente tem.
     
    Como avalia a gestão do prefeito Crivella?
    Trágica. O Rio está entregue nas mãos de uma múmia. O abandono é visível. 
     
    Tem alguma utopia?
    Tarifa zero pra transporte público. Direito à moradia. Imposto sobre dividendos. Trem bala Rio SP. Metrô pra Niterói. 
     
    Foto: Divulgação
     

    ATENÇÃO
    Não somos responsáveis por alterações na programação.
    Recomendamos que confirmem os eventos através dos links ou telefones divulgados.
    Apenas organizamos e compartilhamos a informação.




    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

CURTA O BAFAFÁ!

DIVULGAÇÃO










#AGENDABAFAFA