TURISMO >> Histórias do Rio

  • Americanização do Rio e do Brasil começou com visita de Walt Disney em 1941

    Da Redação em 23 de Setembro de 2021    Informar erro
    A partir dos anos 40, em plena Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos introduziram uma forte política de "boa vizinhança" com a América do Sul. O primeiro passo para isso foi a visita do desenhista Walt Disney, em duas ocasiões, em 1941 e no ano seguinte. 
     
    Disney hospedou-se no Copacabana Palace com a mulher e uma equipe de 16 pessoas. Tudo para criar um personagem tipicamente brasileiro partindo de uma ideia original do caricaturista J.Carlos. Assim nascia Zé Carioca, um papagaio cheio de ginga e simpatia.
     
    O resultado da viagem de Disney ao Rio pode ser conferido no filme “Alô, amigos”. No longa, Zé Carioca é um papagaio bonachão que coloca o Pato Donald em diversas situações embaraçosas.
     
    Na viagem, Disney conheceu Carmem Miranda e Vitor Civita que publicou suas revistas no Brasil. Frequentou ainda a praia, curtiu a noite e dizem que até experimentou a feijoada e "comeu franguinho com as mãos".
     
    A alegria do empreendedor era tanta, que foi registrada uma imagem em que Disney estava deitado na areia da Praia de Copacabana, enquanto tirava fotos dos morros da cidade. Esse é um fato curioso, pois Walt Disney estava sorrindo, e ele era conhecido por ser um homem de poucos sorrisos.
     
    Walt Disney é a pessoa que venceu o maior número de Óscars na história, sendo 22 prêmios da Academia e 59 indicações.
     
    Disney obteve um de seus maiores êxitos em 1955 ao inaugurar a Disneylândia, um superparque de diversões situado em Anaheim, na Califórnia. O parque foi construído graças a uma parceria com a rede de televisão ABC.
     
    O "American Way of life" teve outro incentivador com a presença no Rio, do cineasta Orson Welles. Em 1942, ele passou semanas na cidade e o Brasil colhendo material para um filme sobre os hábitos e costumes latinoamericanos. Registrou ainda cenas de carnaval, da Rio Branco ao Copacabana Palace, percorreu favelas e a "night".
     
    Curiosamente, o filme nunca chegou a ficar pronto, mas a visita de Welles serviu como cartão de visita e nunca foi esquecida aqui.
     
    Ao término da Segunda Guerra, a avalanche cultural norte-americana foi inevitável. Os cinemas passaram a exibir só filmes americanos, o rock explodiu nas rádios, e o estilo de vida sobressaiu sobre a cultura francesa até então predominante no Rio e no Brasil.
     
    Com a chegada da TV, no início dos anos 50, ninguém mais segurou a "americanização" que perdura até hoje. E o francês caiu em desuso como um castelo de areia.
     


    • TURISMO QUE PODEM TE INTERESSAR

      O dia que a TV Manchete destronou a TV Globo na transmissão do carnaval do Rio
      Saiba Mais
      Aberto em 1966, drive-in marcou época à beira da Lagoa
      Saiba Mais
      Sepultura de Jorge Selarón é uma réplica de sua famosa escadaria na Lapa
      Saiba Mais


    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

    Banner Pets

DIVULGAÇÃO