TURISMO >> Histórias do Rio

  • Túnel Santa Bárbara tinha capela escavada na rocha com painel da pintora Djanira

    Da Redação em 29 de Fevereiro de 2024    Informar erro
    Túnel Santa Bárbara tinha capela escavada na rocha com painel da pintora Djanira

    O painel foi desmontado no início de 2000 e transferido para o Museu Nacional de Belas Artes onde foi restaurado. Foto: Hermes de Paula/O Globo


    Inaugurado em 1963, o túnel Santa Bárbara demorou 12 anos a ficar pronto e passou a interconectar a Zona Sul à Zona Norte em minutos.
     
    Em seu interior tinha uma capela com um painel da pintora Djanira, criada para homenagear os 18 operários mortos durante a construção do túnel.
     
    A estrutura foi escavada na rocha e, por Santa Bárbara ser padroeira dos mineiros e protetora contra acidentes, acabou batizando o túnel e a própria capela.
     
    O painel foi desmontado no início de 2000 e transferido para o Museu Nacional de Belas Artes onde foi restaurado.
     
    A capela acabou fechada e hoje é apenas um lugar escuro, quase desconhecido de muitos cariocas.
     
    Com uma galeria de 1.357 metros de comprimento por 17,5 m de largura e quatro pistas de rolamento, foi o primeiro grande túnel aberto na cidade e o primeiro a ter ventiladores. À época foi considerado o maior da América do Sul e um dos mais modernos do mundo.
     
    O local é um marco histórico na cidade do Rio de Janeiro e uma lembrança importante da segurança no local de trabalho.

    • FOTOS



    • TURISMO QUE PODEM TE INTERESSAR

      Rio foi a segunda capital do mundo a ter serviços sanitários e pluviais
      Saiba Mais
      Levantamento aponta as gírias mais odiadas pelos cariocas, confira
      Saiba Mais
      Arquibancada do Clube Fluminense foi parcialmente demolida com o alargamento da Av. Pinheiro Machado
      Saiba Mais


    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

DIVULGAÇÃO