MAIS COISAS >> Jornal Bafafá

  • Documento de Universidades do Rio considera improvável retorno presencial em 2020

    Da Redação em 22 de Julho de 2020    Informar erro
    Documento de Universidades do Rio considera improvável retorno presencial em 2020

    Na manhã desta quarta-feira (22/7), a reitora da UFRJ, Denise Carvalho, e os dirigentes de outras nove instituições federais e estaduais de educação do Rio de Janeiro assinaram um manifesto (leia na íntegra mais abaixo) acerca das atividades acadêmicas presenciais e remotas durante a pandemia.
     
    Segundo os reitores, “é bastante improvável o retorno da atuação presencial durante o ano de 2020”. Eles reiteraram que todas as decisões sobre o tema terão como base critérios científicos e que, enquanto não for possível a realização de aulas presenciais, “a continuidade das atividades curriculares de ensino deverá ser exercida, em caráter emergencial, por meio de mecanismos de mediação tecnológica”, mas com os devidos cuidados para que o processo não seja excludente.
     
    O documento assinado conjuntamente é embasado pela nota da comissão de especialistas de universidades do Rio. O pesquisador da Faculdade de Medicina da UFRJ Roberto Medronho, que coordena o Grupo de Trabalho (GT) Multidisciplinar para o Enfrentamento da COVID-19 da instituição, integra a comissão fluminense.
     
    Leia na íntegra a seguir:
     
    MANIFESTO DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO DO RIO DE JANEIRO SOBRE AS ATIVIDADES ACADÊMICAS PRESENCIAIS E REMOTAS DURANTE A PANDEMIA
     
    As Instituições Públicas Federais e Estaduais de Educação do Rio de Janeiro, com base em nota da Comissão de Especialistas das Universidades Públicas e Institutos Federais do Estado do Rio de Janeiro sobre o retorno das atividades acadêmicas regulares durante a pandemia de Covid-19, vêm manifestar que é bastante improvável o retorno da atuação presencial durante o ano de 2020, sendo certo que ainda não é possível afirmar quando isto se dará e que todas as decisões sobre o tema serão lastreadas eminentemente em critérios científicos.
     
    Diante desse quadro, ressalvando-se ações pontuais, desenvolvidas de acordo com as especificidades de cada instituição e em que sejam resguardadas a segurança dos seus participantes, a continuidade das atividades curriculares de ensino deverá ser exercida, em caráter emergencial, por meio de mecanismos de mediação tecnológica. Para que este processo seja exitoso e includente, é indispensável a manutenção da regularidade das transferências dos recursos previstos nos orçamentos públicos, a fim de avançarmos institucionalmente sem deixar ninguém para trás, mantendo nosso compromisso com a educação pública, gratuita, de excelência e referenciada socialmente.
     
    Rio de Janeiro, 22 de julho de 2020.
     
    Antonio Claudio Lucas da Nóbrega (Reitor – UFF)
    Denise Pires de Carvalho (Reitora – UFRJ)
    Jefferson Manhães de Azevedo (Reitor – IFF)
    Maria Cristina de Assis (Reitora – Uezo)
    Oscar Halac (Reitor – Colégio Pedro II)
    Rafael Barreto Almada (Reitor – IFRJ)
    Raul Ernesto Lopez Palacio (Reitor – Uenf)
    Ricardo Luiz Berbara (Reitor – UFRRJ)
    Ricardo Lodi Ribeiro (Reitor – Uerj)
    Ricardo Silva Cardoso (Reitor – Unirio)


    • MAIS COISAS QUE PODEM TE INTERESSAR

      Mangue destruído em desastre ambiental na Baía de Guanabara reabre despoluído como parque natural
      Saiba Mais
      Inspirado em jardim de Singapura, Parque Realengo Susana Naspolini é inaugurado
      Saiba Mais
      Colônia de férias do Sesc RJ abre inscrições terça 11/06
      Saiba Mais


    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

DIVULGAÇÃO