MAIS COISAS >> Serviços

  • Família Jobim nega interesse histórico de casa em Ipanema

    Da Redação em 20 de Dezembro de 2018    Informar erro
    Geralmente avessos a manifestações públicas, Paulo e Elizabeth Jobim, filhos do maestro Tom Jobim, resolveram divulgar uma carta depois de ver o nome do pai envolvido num imbróglio imobiliário. É que uma casa na Rua Barão da Torre, 107, em Ipanema, que foi vendida pela Família Hermanny à uma incorporadora, está sendo alvo de uma mobilização para que seja tombada. O motivo alegado pelos líderes do movimento nas redes sociais - os donos do albergue que aluga o espaço - é a preservação da obra de Tom Jobim. Só que os filhos não apoiam esse movimento, desmentindo que o imóvel tenha pertencido a Tom Jobim e que 'Garota de Ipanema' tenha sido composta lá.
     
    "Tom Jobim e Vinícius de Moraes fizeram a música no Bar Veloso (hoje Bar Garota de Ipanema), com a moça passando", destaca Paulo Jobim, que é maestro como o pai.
     
    Na carta assinada por ele e pela irmã Elizabeth, os filhos destacam que os lugares de preservação da memória de Tom Jobim reconhecidos pela família já existem. São o apartamento na Rua Nascimento Silva, eternizado na composição 'Carta ao Tom' (este imóvel já tombado pelo Patrimônio Cultural Carioca); e o Instituto Antônio Carlos Jobim, no Jardim Botânico, onde mantém exposição permanente.
     
    Família chateada - Os filhos de Tom Jobim decidiram se manifestar por conta da mobilização organizada pelos donos da Pousada Bonita, que hoje ocupa o imóvel da Rua Barão da Torre e dizem nas redes sociais que vão resistir sair. 
     
    "O pessoal da pousada nunca nos procurou ao longo desses anos para fazer homenagens ou pedir autorização para usarem comercialmente o nome de Tom Jobim. Eles não querem sair de lá e estão dizendo que casa é inderrubável, sagrada, mas eles nunca fizeram nada de sagrado ali. Eles mudaram a casa toda, pintaram de vermelho e isso não tem nada a ver com patrimônio e tombamento. A casa tinha quatro quartos e agora parece que tem, sei lá, 20 quartos. Ela já foi desfigurada. Esse troço é que não querem interromper o contrato e então estão fazendo essa onda toda e cobrando milhões do cara que comprou a casa para a pousada sair de lá", diz Paulo Jobim, que além de músico é também arquiteto e assinou o projeto de uma das casas em que Tom Jobim efetivamente foi proprietário. 

    Paulo Jobim esclarece que a casa da Barão da Torre em questão pertencia à sogra de Tom Jobim, avó de Paulo, e que o pai morou lá por cerca de três anos, período em que passou mais tempo nos Estados Unidos. "Lembro que minha prima e as amigas dela  jogavam vôlei numa quadra naquela casa. Jogávamos sem parar em um campo que tinha atrás da casa, mas hoje não existe mais porque no local foram construídos quartos para a pousada. Se fossem tombar todo lugar que meu pai esteve, vão ter que fazer o mesmo com o Madison Square Garden (Nova York)", alega Paulo Jobim, numa referência ao período profícuo em que Tom Jobim esteve nos Estados Unidos e fez diversas composições.
     
    O imóvel - O contrato de aluguel da Pousada Bonita com a Família Hermanny vence em dezembro de 2018 e e os sócios do estabelecimento já foram notificados que os novos donos do imóvel não têm intenção de renovar. A venda do imóvel pelos dez herdeiros de Elizabeth de Otero Hermany já foi concretizada, pagamento inicial feito e o consequente registro liberado pelo cartório competente. Os órgãos municipais já conferiram a licença de demolição. No lugar, será construído um empreendimento de 14 andares assinado pelo arquiteto Celso Rayol.
     
    Fonte: Danthi Comunicação

    ATENÇÃO
    Não somos responsáveis por alterações na programação.
    Recomendamos que confirmem os eventos através dos links ou telefones divulgados.
    Apenas organizamos e compartilhamos a informação.




    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

CURTA O BAFAFÁ!

DIVULGAÇÃO









#AGENDABAFAFA