TURISMO >> Bairros

  • Rio teve projeto de viaduto habitável de Le Corbusier em 1929, nunca saiu do papel

    Da Redação em 06 de Agosto de 2021    Informar erro
    Rio teve projeto de viaduto habitável de Le Corbusier em 1929, nunca saiu do papel

    Em visita ao Rio de Janeiro em 1929, o arquiteto suíço Le Corbusier chegou a esboçar o projeto de um viaduto habitável cortando a Zona Sul que como o nome diz seria um complexo residencial com apartamentos duplex, autopistas no topo, calçadas, praças e jardins verticais, com 12 niveis sobre pilotis.
     
    O projeto "futurista" é uma aberração para os tempos atuais. Ele cortaria vários bairros, saindo do Leblon beirando a Lagoa Rodrigo de Freitas, com conexão em Copacabana, Leme e saindo no Flamengo até o Centro. 
     
    Segundo Le Corbusier, "o edifício-viaduto poderia equilibrar a relação arquitetura-paisagem, a relação artifício-natureza, do Rio de Janeiro".
     
    Le Corbusier chegou a projetar outras ideias para o Rio de Janeiro, entre eles, o Ministério de Educação e Saúde e a Cidade Universitária.
     
    Pelos croquis do arquiteto, a cidade se livrou de elefante branco. Imagina hoje essas edificações mal conservadas, poluindo o visual da Cidade Maravilhosa? 


    • TURISMO QUE PODEM TE INTERESSAR

      Parque Leopoldina, sub-bairro próspero de Bangu, foi cenário de reality em 2013
      Saiba Mais
      Edifício Ipu, em estilo art déco, imita navio com escotilhas
      Saiba Mais
      Aterro do Flamengo, patrimônio cultural da humanidade, tem jardins de Burle Marx
      Saiba Mais


    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Comentário do post Jon:
        Parece o arquiteto era um gênio, o indivíduo que fez comentário no texto de que não daria certo não um bom discernimento. Como prédio teria o condomínio para manter a conservação. Como viaduto a prefeitura seria obrigada a manter a conservação. É uma pena ver as boas oportunidades que o Brasil perdeu. Nada de novo de um país que sufocou o conde de Mauá.


DIVULGAÇÃO