TURISMO >> Histórias do Rio

  • 1964, o ano da epidemia de "beijos" no carnaval carioca

    Da Redação em 25 de Março de 2024    Informar erro
    1964, o ano da epidemia de

    Carnaval de 1964. Foto: Willy Rizzo


    O Rio de Janeiro, definitivamente, ao longo da história, provou ser uma cidade que não aceita imposições e medidas de força.
     
    Uma delas, ocorrida no distante ano de 1964, quando o então secretário de Segurança, o coronel Gustavo Borges, ameaçou prender quem beijasse em público durante o carnaval daquele ano.
     
    A justificativa é que os beijos atentavam contra o moral e os bons modos. A medida acabou sendo um tiro na culatra, pois a imposição não foi respeitada por ninguém e acabou gerando uma "epidemia" de beijos naquele carnaval.
     
    Até nomes conhecidos condenaram a imposição: "Foliões precisam beijar para brincar", declarou então a cantora Emilinha Borba. O ator Ítalo Rossi também criticou a proibição. "Beijo na boca é uma coisa naturalíssima entre os povos mais civilizados do mundo", disse. A atriz Brigitte Blair foi mais crítica. "Com certeza o coronel não sabe beijar", fuzilou.
     
    A proibição foi um tremendo fracasso já que nunca se beijou tanto na boca como naquele carnaval de 1964.
     
    Fonte: Rio Memórias/Biblioteca Nacional


    • TURISMO QUE PODEM TE INTERESSAR

      Ziraldo: tesouro nacional admirado por gerações criou coleção de fósforos em 1970
      Saiba Mais
      Edifício Monte: um tesouro Art Déco de 1929 que encanta em Laranjeiras
      Saiba Mais
      Di Cavalcanti, o carioca que transformou a arte brasileira e encantou o mundo
      Saiba Mais


    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Seja o primeiro a comentar este post

DIVULGAÇÃO