TURISMO >> Histórias do Rio

  • Palácio Quitandinha: piscina em formato de cavalo-marinho foi capa da revista Time

    Da Redação em 18 de Abril de 2024    Informar erro
    Palácio Quitandinha: piscina em formato de cavalo-marinho foi capa da revista Time

    Foto: Serra Drone Production


    A piscina do Palácio Quitandinha, em formato de cavalo-marinho, foi destaque na capa da revista americana Time em 1946.
     
    A revista destacou a grandiosidade e o luxo do palácio, que na época era um dos maiores hotéis-cassino da América do Sul.
     
    Essa capa da Time ajudou a promover o palácio internacionalmente, tornando-o ainda mais conhecido e atraindo a atenção de pessoas de todo o mundo.
     
    Além dessa piscina, o hotel possuia uma piscina coberta aquecida com serviço de bar (em formato de piano de cauda) e um lago com o formato do Brasil em frente. 
     
    O Palácio foi construído em 1944 para ser o maior cassino-hotel da América do Sul, com 50.000 m² de área construída. O estilo normando era a moda da primeira metade do século. Sua decoração ficou a cargo da americana Dorothy Draper, que assinava cenários de filmes na década de 40. Os banheiros são de mármore colorido e as pias de porcelana. Os lustres, gigantescos, são de bronze, com pingentes de cristal.

    A energia elétrica consumida era suficiente para iluminar uma cidade de 60.000 habitantes e seus salões de festas podiam abrigar até 10.000 pessoas.

    A cúpula do cassino é a segunda maior do mundo com 50 m de altura e 120 m de diâmetro, só perde para redoma da Catedral de São Pedro, em Roma.

    Possui um Teatro Mecanizado, com três palcos giratórios e capacidade para 2.000 pessoas. Os ladrilhos do fundo lago frontal reproduzem o mapa do Brasil, com o farol na Ilha de Marajó.

    Com a extinção do jogo no país, por decreto de 30 de maio de 1946, o Palácio permaneceu apenas como hotel de luxo. Não conseguindo sobreviver, seus apartamentos foram sendo vendidos gradativamente.

    Em 1989,  a área monumental (térreo), foi adquirida pelo SESC e passou por uma restauração completa 
     
    Em 2023 virou o Centro Cultural Sesc Quitandinha (CCSQ), um espaço com entrada gratuita e dedicado exclusivamente à promoção das artes em suas múltiplas linguagens, gastronomia, preservação da memória e entretenimento.


    • TURISMO QUE PODEM TE INTERESSAR

      O tesouro escondido de Angra dos Reis: a busca pelo meteorito perdido
      Saiba Mais
      Piscina do Raposão, um lugar com muita história em Santa Teresa
      Saiba Mais
      Sarah Bernhardt, a atriz que conquistou o mundo e viveu um drama no Rio de Janeiro
      Saiba Mais


    • COMENTE AQUI

      código captcha

      O QUE ANDAM FALANDO DISSO:


      • Comentário do post Rogério Marques Gomes:
        Maravilha! Tudo isso obra de um empresário chamado Joaquim Rolla, que nasceu em Dom Silvério, interior de Minas Gerais, onde começou a vida bem jovem, como tropeiro. Além do Quitandinha, foi dono do lendário Cassino da Urca, do Cassino Icaraí, em Niterói, e outros em estâncias hidrominerais do sul de Minas Gerais.


DIVULGAÇÃO